segunda-feira, 6 de novembro de 2006

A vidente


Na borra do café no fundo da xícara Darlize viu, logo depois do almoço, depois da louça lavada, da pia seca, do pano de prato pendurado no prego, um pouco antes da hora da novela, viu as mãos entrelaçadas, mesmo o detalhe da unha era nítido, e pelo encardido da unha lhe restava a certeza.
Assistiu a novela repetida, encheu a banheira de água e relaxou na quentura, escolheu o vestido estampado, o de dia de festa, pintou os lábios de vermelho e debruçou-se ao lado do telefone, “Vem mais cedo pra casa hoje, meu amor!”. Entrou na cozinha, pegou o banquinho, a faca de cortar carnes e aguardou o seu amor atrás da porta.

2 comentários:

geraldo disse...

Me lembrei da música...
"Eu quero ver você dançar em cima duma faca cheia de sangue....enfiada no meu coração"
Adoreiii
bju

Clarissa disse...

"com açúcar, com afeto fiz seu doce predileto (...)"

acho que não combina muito aqui, neam?