domingo, 19 de outubro de 2008

Não vá morder as Márcias


D´aprés OsMarcos



Abri os olhos e vi uma faixa negra em movimento na estrada, escuridão provocada por três lâmpadas queimadas. Havia postes? Nem sei. Acordei a tempo de perceber que dormira no guidão da bicicleta. Por pouco não acordei debaixo do caminhão de lixo. Chegava da cidade grande, de um apartamento na cidade grande. No apartamento tinha um cachorro, o Brutus. "Não vai morder as márcias, Brutus", disse Nanda. Nada deu certo, nem a inteligência, nem a burrice, nem a cama. Uma cama gicantesca. King size. Duas existências distantes. Duas distâncias.

4 comentários:

Cecilia disse...

Misterioso... noite, bicicleta, estrada, cama. Uau.
bjs

Rafael Velasquez disse...

dois passinhos tudo certo? rs

beijo!

Julio Melo disse...

cama grande mas é so juntar um pouquin,
bicicletas, cmaihão de lixo....

nossa, muito bom

parabns

Flávia disse...

O doloroso é quando as distâncias sãi impossíveis de vencer, mesmo quando há exiguidade entre os corpos...

Beijos. moça.