domingo, 5 de abril de 2009

Música

Nem só de pó era feita a mulher, conclui depois de ouvir o som afinado saído de seu violino. De ver, com os olhos bem fechados, a sua face concentrada, ao tocar um instrumento, gravada no fundo de minha memória. De sentir, a dois metros de distância, a energia vibrante de seu corpo ereto se esvaindo em música. Ela era também a solidez da dedicação, a alvura dos dedos dedilhando as cordas, o desejo inconscientemente desperto a sua volta, a vida se pronunciando em acordes.

6 comentários:

Rafael Velasquez disse...

Tocava o quê? Wagner? Mozart? Beethoven? Bach? Tchaikovsky?


beijo.

Cogumela =) disse...

Num conserto o personagem principal sempre possui cordas. Os dedos coadjuntos contemplam a melodia audível.

=*

Janna Arrais disse...

Que coisa maravilhosa... s2

A-há. disse...

Olá... =)
Sou assídua leitora do seu blog há bastante tempo... E indiqueio ao prêmio Dardos. ^^
Olha lá depois http://mosaicoprosaico.blogspot.com/2009/04/premio-dardos_12.html

Dê continuidade.
Beijos!

C. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
adan arruda. disse...

em acordes de piazzola!