segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Chuva de Noé


Chovia rios de janeiro. E quando pela janela do sétimo andar vi a água na altura do parapeito não resisti, abri a janela, peguei a namorada pela mão e com um pulo alcancei a barca de Noé. Carecia ela de um casal de lésbicas.

3 comentários:

Thaís disse...

Rs...
Garanto que tudo por lá ficou mais animado, mais interessante.....
bjos

Rafael Velasquez disse...

se não ficou animado e nem interessante ao menos tirou onda. aposto que a foca ficou se morrendo de inveja.

Adorei esse blog!!!

jorgeanabraga.zip.net disse...

interessante...