sexta-feira, 8 de maio de 2009

Pintada




A nudez do seu corpo sobre a cama, a sombra titubeante da perna no lençol branco, a luminária desligada e velas espalhadas pelo quarto, a árvore de luz sobre a cômoda, três ou quatro velas pelo chão. Tenho na mão o pincel fino, elegante, carregando escritos que inadvertidamente surgirão nas pontas das cerdas, onde se refugiam desenhos que pouco a pouco transferem-se sobre o seu corpo, delineando os seios, cobrindo o ventre, enfeitando o corpo para o desenlace da noite.

3 comentários:

Rafael Velasquez disse...

=)

antes da chuva disse...

beijo beijo e beijo

Cogumela =) disse...

A frase do pincel me trouxe tanta doçura.

Tuas descrições são espetaculares.

beijo