sábado, 24 de outubro de 2009

O corpo de cada dia


Faz dois meses deixei de escrever: ela me consome, eu me consumo entre quatro paredes. Faz dois meses não abro janelas pra ver tudo o que já vi antes, a copa das árvores, os carros na rua, procuro novidades no ar nauseabundo enclausurado por paredes maciças, traço a cada dia minha novidade no corpo.

3 comentários:

Lisa Alves disse...

Nossa, eu vi um mapa em pele humana. Desenhos de luas insanas e estrelas decadentes. Adorei seu espaço!

Cogumela =) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
m. disse...

há pessoas que nos calam, e ainda com todo o nosso consentimento.