segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

Delicadeza


A vontade que tive foi de escrever mil cartas de amor, pelas linhas singelas, de uma delicadeza perdida, de linhas que não combinam com este século de pressas, de muitos eus, as linhas suaves recriando o dia a dia, o inescrutável depois da vida, e quase me morro de alegria pelo achado, uma morte sorriso entre meigas palavras, absorta no irreal dos parágrafos embriagando a tela do computador. Eis o sítio que não me deixa mentir:

________________www.adrianalisboa.com.br______________

2 comentários:

Izabel disse...

Diante do citado sítio, impossível não fazer das suas palavras as minhas. Simplesmente um encanto!

Anônimo disse...

Foi uma declaração de amor,que aliás,eu também sinto,por ela e por você,entre linhas,encontros que refrescam a alma,enquanto o meu rosto escorre de calor salgado,neste dia abafado,quente dentro e fora.Hasta!Bj,Renata.