segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Sonho Lúcido



No escuro da noite às vezes
queria acordar morta
e despertando do sonho da vida
viver a realidade da morte

2 comentários:

David disse...

Somos morte. Isto, que consideramos vida, é o sono da vida real, a morte do que verdadeiramente somos. Os mortos nascem, não morrem. Estão trocados, para nós, os mundos. Quando julgamos que vivemos, estamos mortos; vamos viver quando estamos moribundos.

PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

Thaís disse...

São apenas domingos de chuva...